(35) 3531-6647
   Entre em contato
   Chat offline
   Faça login
Ácaro Branco no limão Tahiti
Na produção de limão Tahiti (Citrus latifolia Tanaka), o produtor não precisar se preocupar com uma grande quantidade de pragas e doenças como em outras plantas cítricas. A praga de expressão mais significativa na cultura é o ácaro branco (Polyphagotarsonemus latus). Praga de ataque rápido, com expressiva deterioração da casca, principalmente na parte sombreada da fruta, seu ...
Publicado em
15 de Outubro de 2012
4
                                                                             
 
Na produção de limão Tahiti (Citrus latifolia Tanaka), o produtor não precisar se preocupar com uma grande quantidade de pragas e doenças como em outras plantas cítricas. A praga de expressão mais significativa na cultura é o ácaro branco (Polyphagotarsonemus latus).

Praga de ataque rápido, com expressiva deterioração da casca, principalmente na parte sombreada da fruta, seu desenvolvimento é favorecido por temperaturas altas e clima úmido. Uma condição de abafamento dentro da copa da planta é ideal para a sua proliferação, que em condições favoráveis pode completar uma geração no período de 3 a 5 dias.

O principal prejuízo do ataque da praga é impossibilidade de comercialização da fruta para exportação, mercado que oferece a melhor remuneração. Já para o mercado interno, essa fruta danificada pode até ser comercializada quando a oferta de fruta for baixa, mas seu destino em condições normais é a indústria de moagem.

O monitoramento de pragas é uma ferramenta essencial para se obter o mapeamento e evolução da população de ácaros brancos, fornecendo subsídios para se definir a melhor estratégia para o controle. Com o ciclo reprodutivo da praga durando menos de uma semana em condições favoráveis, nestas épocas os monitoramentos devem ser semanais.

Métodos de controle químicos acabam não surtindo o efeito esperado se a estratégia e os cuidados com a aplicação não forem bem realizados. Correta escolha do produto, rotação de princípios ativos e grupos químicos, adequada preparação da calda, calibragem correta dos pulverizadores e boa cobertura das plantas são alguns dos pontos importantes para se obter êxito no controle.

O principal período de ataque ocorre quando os frutos ainda não passaram do estagio de "azeitona para pingue-pongue". Portanto, em anos atípicos de chuvas e com preços estáveis da fruta no campo ao longo do ano, um descompasso no controle pode significar perda de qualidade e, conseqüentemente, diminuir a rentabilidade do negócio.

Para saber mais detalhes e conhecer nosso trabalho, entre em contato com a equipe Via Verde.
 
Autor: Guilherme de Paula Eduardo
Sobre nós
 
A ViaVerde trabalha há mais de 20 anos prestando serviços ao Agronegócio Brasileiro, uma paixão que nos impulsiona na busca de soluções inovadoras e sistemas de produção eficientes e equilibrados.
Faça contato
 
  (35) 3531 - 6647
  (35) 3531 - 6647
  Rua Mariana Amaral, 138 -  Lagoinha São Sebastião do Paraíso, MG Cep 37.950-000
Encontre-nos
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.