Pecuária Sustentável na Prática ajuda a preservar a floresta amazônica

Com o aumento da população humana no planeta e a necessidade crescente do uso de recursos naturais para manutenção dessas pessoas, assistimos nas últimas décadas um grande avanço das áreas destinadas à produção de alimentos e madeira sobre as florestas, e não seria diferente na Amazônia, onde o corte de árvores precedeu a chegada da pecuária e agricultura.


Ao perceber que os recursos naturais são finitos, a humanidade começou a se preocupar com a sustentabilidade de suas ações e com isso aumentaram as pesquisas e atitudes que visam a implantação de medidas que respeitem o meio ambiente, as pessoas e gerem riquezas. Dentre essas ações, por exemplo, foi celebrado o Acordo de Paris, que busca reduzir as emissões de gases de efeito estufa e ajudar a frear um possível aquecimento global.


Várias são as ações que podemos ter em nossas vidas cotidianas que colaboram para aumentarmos nosso nível de sustentabilidade e preservar nossos recursos naturais, como por exemplo, o uso de energia renovável, a reciclagem de lixo e o tratamento de efluentes domésticos e industriais. Na produção de alimentos não poderíamos agir de maneira diferente, por mais que aumente anualmente a demanda por comida no planeta, precisamos fazer com que produção e preservação caminhem de mãos dadas.


Entre várias questões a serem pensadas e trabalhadas no campo da produção agropecuária, temos a necessidade de reduzir a pressão de desmatamento sobre a floresta amazônica. Nesse sentido, em março de 2018, a ViaVerde Agroconsultoria começou a realizar atendimentos técnicos no município de Oriximiná/PA em um projeto de nome Pecuária Sustentável na Prática, que faz parte do programa Territórios Sustentáveis, gerido pela ECAM (Equipe de Conservação da Amazônia), Imazon e Agenda Pública.


O programa Pecuária Sustentável na Prática tem como objetivo melhorar a produtividade das fazendas de Oriximiná, de maneira ambientalmente correta, socialmente justa e financeiramente viável, diminuindo assim a pressão de desmatamento em cima da nossa maior floresta, um imenso e verdadeiro tesouro. Por meio de visitas periódicas, os consultores Murilo Betarello, Denis Tostes e Renato Peres buscam transferir técnicas de produção na pecuária de corte e leite, que permitam aos pecuaristas um melhor aproveitamento de suas áreas de produção, elevando a produção de arrobas ou leite/hectare/ano.

Após um diagnóstico inicial, notou-se que questões relacionadas ao manejo inadequado das forrageiras, a falta de reposição de nutrientes e/ou construção de fertilidade do solo, ao uso inadequado dos recursos hídricos, entre outros, eram os principais obstáculos a uma produção realmente sustentável e assim os produtores invariavelmente se sentiam impelidos a derrubar a mata para expandir sua produção, visto que com índices produtivos baixos, a maneira de ganhar escala era aumentar a área da atividade.


Pensando em “quebrar” esse ciclo e aumentar a produtividade nas áreas já abertas, foram gerados planos de intensificação da atividade em cada propriedade, respeitando as características naturais e humanas de cada uma delas.

Após 5 visitas em cada fazenda e a realização de capacitações coletivas, alguns avanços já são notados. Podemos citar, por exemplo, que a maneira de formar pastagens mudou, passando a ser realizada a correção do solo de acordo com o resultado da análise do mesmo e a compactação das sementes, aumentando a taxa de sucesso e ajudando a obtenção de melhores resultados. Alguns outros pontos importantes também podem ser citados, dentre eles a aplicação de mais de 1000 toneladas de calcário e a criação de 10 módulos de pastejo em sistema rotacionado, além de já termos fazendas que implantaram bebedouros artificiais, tirando até 70% de suas aguadas dos cursos naturais de água.


Com a sequência dos atendimentos dentro do projeto, temos certeza que todo potencial produtivo dessa região (que está estrategicamente localizada, pelo alto nível de insolação, temperaturas elevadas e grande ocorrência de chuvas) será exercido, facilitando assim não só a obtenção de lucro na atividade, mas também protegendo a floresta, visto que teremos melhores índices de produtividade, diminuindo a necessidade de desmatamento para aumentar as áreas de produção. Além disso, estão programados avanços no campo social, capacitando pessoas e promovendo cada vez mais melhorias nas condições de vida dos envolvidos na atividade pecuária.


A Terra é nossa casa e a ViaVerde ajuda a cuidar dela!



Pasto formado da maneira tradicional do local.




Áreas formadas após o início do projeto, seguindo recomendações técnicas da equipe ViaVerde.