Pecuária mais sustentável nos Sistemas Silvipastoris colombianos

                                                                              


Pecuária
Assunto: Pecuária
Autor: Murilo Betarello

Pecuária mais sustentável nos Sistemas Silvipastoris colombianos

A “Gira” técnica para conhecer um pouco mais da pecuária Colombiana ocorreu entre os dias 8 e 14 de dezembro de 2013, e teve como principal objetivo levar pecuaristas de Apuí (AM) para conhecer os trabalhos com Sistemas Silvipastoris (SSPi) desenvolvidos pelo CIPAV (www.cipav.org.co), que é uma organização de fomento e investigação de boas praticas pecuárias e agrícolas.

Os pecuaristas sul amazonenses fazem parte de um projeto que assessoramos há 2 anos, realizado pela organização IDESAM (www.idesam.org.br) que visa promover o desenvolvimento e conservação da Amazônia, e a busca por técnicas de produção mais eficientes e sustentáveis, que se adequassem a realidade do sul do amazonas, nos levou a conhecer os Sistemas Silvipastoris Intensivos (SSPi) Colombianos.

Os SSPi são praticados na Colômbia há mais de 20 anos e me impressionaram com sua capacidade produtiva, aliada a resiliência de suas pastagens e a baixa utilização de insumos. Nos seis dias de viagem tivemos o privilégio de conhecer 6 fazendas, que aplicam as mais variadas técnicas de produção que podemos adotar e adaptar para melhorar nossa pecuária.

Fazenda El Hatico - Valle Del Cauca - A fazenda El Hatico está há 8 gerações na Família Molina. A fazenda possui uma área de 140 hectares de SSPi e 110 hectares de Cana de açúcar orgânica em uma altitude média de 1000 metros com um pluviosidade anual de 785 mm.

Nos 140 hectares de SSPi a fazenda possui 1180 animas sendo 650 vacas leiteiras da raça Lucerna. A fazenda possui todos seus piquetes de SSPi divididos em piquetes de 4000 m² que são pastejados durante 1 dia a cada 45 dias e permitem manter uma lotação ao redor de 4,0 U.A/ha sem a utilização de adubos químicos.

O SSPi principal utilizado na fazenda possui o consórcio entre Leucena, Grama Estrela e Tanzânia. Também são utilizadas fileiras de árvores madeireiras como mogno (aprox. 20 arvores/ha) para servir de reserva de valor e poupança ao longo dos anos.

Fazenda Las Canãs - É uma fazenda que está em processo de recuperação, pois suas áreas mais acidentadas se encontravam em avançado processo de degradação e seus solos são muito ácidos. A fazenda está utilizando uma leguminosa do cerrado brasileiro, chamada Cratylia argentea para recuperar a fertilidade de seus solos. O principal consócio da fazenda é de B.ruziziensis ou B.decumbens com Cratylia.

Fazenda Petequi - É Um pequena fazenda familiar que possui 15 hectares de pastagens, divididos em 28 piquetes de SSPi para rotacionar 44 vacas de leite, com uma produção diária de apóx. 400 lts/dia. A vacas são suplementadas apenas durante a ordenha e o sistema não necessita de fornecer suplementação de volumoso durante a época de pouca pluviosidade, visto que em um SSPi a o microclima é mais equilibrado.

Também é utilizado cercas vivas com a espécie Gliricidia sepium que possui como vantagem o baixo custo de manutenção da cerca, a palatabilidade aos animais e a reprodução por estaquia.

Fazenda Los Chagualos - É uma fazenda familiar que trabalha com uma espécie forrageira arbustiva que chama Thiotonia diversifolia (Botão de Ouro ou Margaridão). Esta espécie apesar de não ser leguminosa se adapta muito bem em solos ácidos e de baixa fertilidade.

O proprietário utiliza banco forrageiro de Margaridão devido ao seu alto teor de proteína, para completar a suplementação de vacas de leite com Cana de Açúcar. Neste caso o margaridão é picado diariamente e fornecido com cana, o excedente é ensilado para épocas de menores disponibilidade de forragem.

Fazenda Lucerna - Trabalha na produção leiteira desde 1936, quando começou os trabalhos de melhoramento genético e criação da raça Lucerna (40% holandês, 30% Hartón Del Valle e 30% Shorthon) . Antes de se converter para produção baseada em sistemas silvipastoris intensivos, a fazenda praticava uma pecuária intensiva com a utilização de 600 kg de uréia por hectare e outros adubos necessários para correção do solo possuindo lotação média de 4,0 vacas leiteiras/ha.

Há 20 anos a fazenda iniciou um trabalho de implantação de árvores e leguminosas em suas pastagens e hoje não utiliza adubação química, conseguindo manter a mesma média de 4,0 vacas por hectare. Para isso a fazenda divide pequenos módulos de 6 á 7 hectares em 30 piquetes de 2.000 m² que suporta 25 a 30 vacas de leite. No momento da visita a fazenda Lucerna contava com aproximadamente 7 lotes (210 Vacas em lactação) com uma produção de 2.100L/dia.

Fazenda Pinzacua - A fazenda recria bovinos de corte ½ sangue Angus e Brahman para produção de carne de qualidade. A fazenda faz reflorestamento em linhas de arvores madeireiras como Cedro e Mogno para venda futura. De acordo com o proprietário a pecuária de corte “custeia” a fazenda e o lucro maior é obtido com a venda de madeira nobre.

A principal leguminosa utilizada no sistema é o Ingá, que é plantado em linhas com cerca de 40 arvores por hectare, que com o manejo da sombra através de podas periódicas possibilita o proprietário trabalhar com uma lotação de 4,0 U.A/ha.

As técnicas e os sistemas de produção relatados nas fazendas visitadas, são adaptações dos próprios produtores de trabalhos acadêmicos e observações entre intercambio com outros produtores. Algumas destas praticas podem ser adaptadas e muito benéficas para pecuária brasileira em diferentes escalas, principalmente na agricultura familiar.

As pastagens com sistemas silvipastoris, apesar de serem mais custosas na implantação, possuem um custo de manutenção e um risco menor do que uma pastagem com alta utilização de insumo, em um mundo que demanda mais alimentos e maiores produtividade, pode ser uma interessante alternativa para recuperar pastagens degradadas e aumentar a produção pecuária.



EL HATICO - Ordenha espinha-de-peixe, com produção de cerca de 2.000L/ dia, ao longo de um ano todo, sem necessidade de suplementação de volumoso.


 EL HATICO - Vaca leiteira da raça Lucerna pastejando SSPi consorciado com Leucena.

LAS CAÑAS - Pastos consorciados entre B. humidicola e Cratilia

PETEQUI - Divisão de piquetes com cerca viva da espécie Gliricidia 


PINZACUA - Linhas de Ingazeiros em pastagens com grama Estrela

LOS CHAGUALOS - Thiotonia sendo utilizada como banco forrageiro.