Importância do Controle Leiteiro

                                                


Importância do Controle Leiteiro
Assunto: Pecuária de Leite
Autor: Lécio Queiroz Soares

Data Publicação: 19/08/2013

O controle leiteiro é uma ferramenta de aferição da capacidade de produção de leite de uma vaca. Somente por meio dele é que se pode ter uma estimativa segura de produtividade. Infelizmente, ainda é minoria o número de pecuaristas que possuem o hábito de fazer o controle da produção de leite do rebanho. Mas é certo que, aqueles que conduzem sua atividade de forma empresarial adotam esta prática. Alguns criadores costumam medir a produção eventualmente, o que não é o mais recomendado, já que esta observação apenas informa quanto o animal está produzindo naquele momento.

Não podemos nos deixar enganar tão facilmente. Por exemplo, a melhor vaca nem sempre é aquela que apresenta alta produção logo após o parto. Assim, uma vaca que produz 25 litros de leite no início da lactação, mas cuja produção cai logo em seguida, ou que apresenta o período de lactação muito curto, pode não ser tão boa quanto outra que produz 15 litros no início, mas que mantém uma boa produção por um tempo bem maior. É preciso analisar em conjunto a média de produção de leite e a persistência da lactação, o que só é possível quando fazemos o controle leiteiro ou a pesagem do leite adequadamente. Embora alguns produtores não estejam sensibilizados para as reais vantagens do controle leiteiro, elas são muitas, pois permitem:

-Fornecer às vacas quantidades de concentrado de acordo com a produção de leite, já que a vaca que dá mais leite deve receber maior quantidade deste alimento. Dessa forma, não há desperdício nem falta de ração, o que otimiza os custos com a alimentação;
-Melhoramento genético do rebanho, selecionando as melhores vacas pelo total de leite da lactação, descartando aquelas de produção muito baixa ou que não enquadram no perfil produtivo da fazenda;
-Escolher as novilhas filhas das melhores vacas para substituição daquelas descartadas do rebanho;
-Avaliação do desempenho do rebanho e tomadas de decisões quanto às mudanças no manejo nutricional pelo técnico que acompanha a propriedade;
- Secar a vaca de produção muito baixa.

Outro aspecto é o comercial, onde as informações obtidas com o controle leiteiro podem ser utilizadas como marketing do rebanho, objetivando maiores preços na comercialização. Portanto faz-se necessário conhecer ou estimar a produção de cada vaca durante cada uma de suas lactações. A frequência do controle leiteiro depende de vários fatores, entre eles qualidade e disponibilidade de mão-de-obra e a duração da lactação.

Em rebanhos cujas vacas tenham lactações curtas, o controle deverá ser feito a cada 15 dias. Já em rebanhos cujas vacas apresentam lactações normais, o controle poderá ser realizado a cada 30 dias. É bom lembrar que, quanto menor o intervalo entre controles, melhor será a estimativa da produção de leite e mudanças no manejo e na alimentação poderão ser realizadas mais frequentemente.

É fundamental identificar todos os animais através de brincos numerados ou com nomes das vacas para que as anotações sejam precisas, sendo que o controle leiteiro deve ser feito em duas ou três ordenhas diárias, conforme o sistema adotado na fazenda, e em quaisquer casos, recomenda-se fazer a esgota total na tarde anterior ao dia do controle.

Nossa equipe está apta para fornecer mais informações e eventuais questionamentos de como executar corretamente esta prática simples, mas de grande importância para alcançar sucesso na condução da atividade leiteira. Entre em contato conosco e saiba mais.