Em busca da Eficiência Alimentar

Os altos custos de produção, aliado com a baixa eficiência produtiva, além das instabilidades climáticas, ultimamente são os grandes vilões da produção leiteira.
via

Fonte: Cristiano Poncio
O questionamento mais importante que devemos solucionar é : Como devemos agir para fazer a produção leiteira mais competitiva em relação à opção de  outras culturas? Onde devemos ser eficientes para virar o jogo?
Sem dúvida, a adoção de novas ferramentas tecnológicas, melhoramento genético, nutrição, treinamento da mão de obra, entre outros, contribuem para o aumento da competitividade e a busca da lucratividade, mas um dos grandes gargalos da atividade está relacionado à produção de alimentos e a nutrição e se chama Eficiência Alimentar!
A Eficiência Alimentar na avaliação de um rebanho leiteiro é um dos maiores responsáveis por resultados lucrativos, e para mantermos a sustentabilidade de qualquer fazenda.
Num contexto mais amplo, a eficiência alimentar engloba, além da ração consumida, fatores ambientais e de manejo que acabam por afetar a eficiência com que os alimentos são digeridos, as exigências de manutenção dos animais, diminuição de desperdícios, a busca pela produção de volumosos de qualidade alta e custos baixos, por meio da busca de melhorias na fertilidade do solo, manejos conservacionistas e etc.
Dr. Mike Hutjens, da Universidade de Illinois, EUA, relata que a maior eficiência alimentar, via de regra, está associada ao maior volume de produção de leite, estágio de lactação menos avançado, perda de condição corporal (característica de início de lactação), alta qualidade de forragem e alta digestibilidade da dieta. Já a eficiência alimentar mais baixa se relaciona com lactações mais avançadas, maior concentração de vacas primíparas, ou de segunda cria, ganho de condição corporal, estresse calórico e acidose ruminal.
Sendo assim o aumento da Eficiência Alimentar é uma das principais ou até mesmo a principal variável que devemos dominar para se manter a lucratividade da operação leiteira, principalmente em épocas de preço do litro de leite muito baixo.
Mas o grande desafio é que na prática não é uma questão fácil! Encontramos grandes dificuldades desde mensuração de dados, despreparo de mão de obra e até mesmo pelo próprio entendimento do produtor da importância da Eficiência Alimentar do seu rebanho.
Desta maneira a partir do momento que o produtor se atentar verdadeiramente para esta variável, temos a possibilidade da atividade se tornar mais competitiva com menos dificuldades.
Procure a ViaVerde para ajudarmos neste desafio!!

Autor Ricardo Mora
Data: 01/02/2018
Categoria: Pecuária