Depois da porteira




Depois da porteira

 Assunto: 10 Artigos Mais Lidos
 Autor: Via Verde

O departamento de Café da Via Verde Consultoria vem agregando informações no exterior para melhorar o conhecimento no agronegócio do café.

Estivemos em Cuba, Costa Rica e Alemanha.

Nos dois primeiros países analisamos o sistema produtivo e comercial: 

- Cuba tem, por essência uma cafeicultura orgânica de baixa tecnificação, já que não tem condições de adquirir insumos defensivos e maquinários.
- Costa Rica é altamente tecnificada e convencional, apresentando a maior média mundial de produtividade (23 sacas por ha ).

São dois paises totalmente diferentes no sistema produtivo, mas que têm em comum a comercialização: buscam o mercado de cafés de qualidade. 

Na Alemanha visitamos o sistema comercial, mesmo porque não existem plantações nesse país. De qualquer forma, é o maior importador de cafés da Europa.

Eles compram 4 milhões de sacas/ano de países produtores, industrializam e vendem nos mercados interno e externo.
Os cafés de qualidade da Costa Rica e de Cuba são vendidos para a Alemanha por US$ 200,00 FOB (posto no porto interno, sem comprometimento com a logística até a Alemanha). 
Em termos técnicos esses cafés de qualidade são os mesmos que nossos Cereja Descascado com excelência em manejo de pós colheita. Quero dizer: podemos fazer.
Em termos financeiros, esses países estão, por enquanto, na nossa frente na estratégia de venda. Isso, a Via Verde almeja mudar através da colocação de boas amostras de nossos lotes nas mãos de compradores externos (torrefadores, trading’s). 

Em maio próximo estaremos em Los Angeles – EUA, para participar da 14° convenção de cafés especiais