Colheita à vista


É chegado o momento de colher os frutos de muito trabalho durante todo o ano agrícola. Com isso, vale ressaltar algumas medidas de suma importância que o cafeicultor deve tomar para garantir rendimento, segurança e qualidade na colheita.

               Primeiramente, é primordial uma revisão geral de todo maquinário (colhedoras, varredoras, lavadores, secadores, elevadores, beneficiadoras, etc.)  A limpeza das tulhas também deve ser feita para evitar que haja contaminação com grãos do ano anterior, assim se evita a proliferação de pragas além de não comprometer a qualidade dos novos lotes que estarão sendo produzidos.

          Fora as medidas preventivas citadas acima, ter um planejamento organizado para seguir também pode evitar prejuízos. Dar início por aqueles talhões de maturação mais precoce é o mais indicado. O produtor deve sempre mirar uma porcentagem de grãos verdes abaixo de 15% garantindo assim um aproveitamento muito maior – ainda mais neste ano de “safra baixa” todos os detalhes farão diferença. Percentual elevado de frutos verdes implica em perdas qualitativas, como bebida adstringente além de quantitativas, haja vista que gastará mais “café da roça” para chegar a uma saca de café beneficiado.

Uma prática também viável, principalmente em lavouras que entrarão em processo de renovação após a colheita, é a utilização de fito hormônio sintético para acelerar a maturação dos frutos. Com a possibilidade de colher com antecedência, fica mais prático para manter um bom ritmo dentre tantos estágios que este processo demanda.

               Tratando-se do preparo de solo, vale lembrar que não há um padrão de operações que se adeque para todas as propriedades, haja vista que irá depender da estrutura/maquinários disponíveis em cada fazenda, tipo de solo, relevo, etc. Atualmente muitos modelos de produção dispensam a arruação, realizando apenas um controle das plantas daninhas. O objetivo principal é diminuir o contato direto dos grãos que caírem com o solo, evitando a perda de qualidade dos mesmos. Além disso, mantém o solo e as raízes intactas.

               Que tenhamos uma boa colheita!

 Autor: Daniel Cesário Silva, Engenheiro Agrônomo